Novo
Agora IDGNow! é IT Midia.com
Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Visa e Coinbase lançam cartão de débito para criptomoedas
Visa e Coinbase lançam cartão de débito para criptomoedas
Home > Inovação

Visa e Coinbase lançam cartão de débito para criptomoedas

Coinbase Card permitirá usuários fazer compras diretamente de suas carteiras digitais. Iniciativa deve impulsionar a adoção de criptomoedas

Lucas Mearian, Computerworld (EUA)

12/04/2019 às 12h15

Foto: Divulgação

Em outro exemplo de como as moedas fiduciárias e digitais estão convergindo no setor de serviços financeiros, a Visa e o banco de moedas digitais Coinbase divulgaram nesta semana um cartão de débito que permite aos usuários comprarem coisas com dinheiro fiduciário convertido de criptomoedas armazenadas em carteiras on-line.

O novo Coinbase Card está diretamente ligado ao saldo de criptomoedas de uma pessoa em carteiras digitais. A Visa, uma das maiores processadoras de pagamentos do mundo, disse que o cartão Coinbase permite que os usuários "gastem criptografia tão facilmente quanto o dinheiro em seu banco" e façam saques em dinheiro de qualquer caixa eletrônico. Inicialmente, a criptomoeda será convertida em libras esterlinas, euros e dólares americanos.

Em um post no Medium, o CEO da Coinbase, Zeeshan Feroze, no Reino Unido, explicou que os clientes podem usar seu cartão em milhões de locais em todo o mundo, fazendo pagamentos através de chip e PIN sem contato. "Quando os clientes usam seu cartão Coinbase, nós instantaneamente convertemos criptografia em moeda fiduciária", escreveu Feroze.

Um aplicativo móvel Coinbase Card permitirá que os consumidores vejam resumos de gastos, recibos de transações e recebam notificações instantâneas.

A Visa traz consigo não apenas sua enorme base de comerciantes, mas também segurança de alto nível, que inclui a verificação em duas etapas e a capacidade de congelar instantaneamente o cartão em caso de perda ou roubo.

"Esta é uma grande notícia. Acho que muitas empresas não tentaram fazer o que [a Visa e a Coinbase estão] tentando fazer, por isso não está claro se ela terá sucesso", disse Avivah Litan, vice-presidente de pesquisa da Gartner. "Eu acho que é fascinante a Visa se inscrever para isso. É uma notícia muito boa, porque eles têm a escalabilidade para fazê-lo ter sucesso com o alcance do varejo, sua rede, sua análise de fraudes."

Dois aspectos da criptomoeda que tradicionalmente a tornam mais cara e mais lenta do que moeda fiduciária ou cartões de crédito são as taxas de mineração e o tempo de confirmação para cancelar uma compra.

Blockchain, a tecnologia de contabilidade eletrônica da qual depende a criptografia, exige que cada transação seja verificada por meio de um consenso daqueles que a usam antes de ser finalizada. A atual taxa de transação de bitcoins é de cerca de US $ 2,06. "Pode levar uma hora para um comerciante saber se a transação foi bem-sucedida", disse Litan.

Para acelerar artificialmente a transação, o processador de pagamentos (Visa) provavelmente dará aprovação imediata e assumirá a responsabilidade se algo der errado com a transação.

Embora Litan não acredite que exista um mercado real nos EUA para compras no varejo por meio do bitcoin ou de outras criptomoedas, ela acha que o Coinbase Card pode ser adotado em "outras economias". Isso pode incluir algumas nações africanas, China, Rússia ou Venezuela, onde a inflação é extremamente alta e os consumidores não têm contas bancárias.

"Eu não descartaria a necessidade de dinheiro digital. Se você olha para países inflacionários como a Venezuela, é como 100.000% ao ano. Um dólar hoje é como um centavo amanhã. Bitcoin é realmente sua única alternativa", disse Litan. "E talvez a Visa esteja entrando nisso para micropagamentos."

Seja bem-sucedido ou não, o Cartão Coinbase representa a epítome do que o bitcoin foi originalmente concebido.

Satoshi Nakamoto, um pseudônimo de uma pessoa ou grupo de pessoas que criou o bitcoin, estabeleceu a criptomoeda como um método de pagamento eletrônico - não como uma moeda a ser negociada nas bolsas por seu valor.

"O comércio na Internet passou a depender quase exclusivamente de instituições financeiras que atuam como terceiros confiáveis para processar pagamentos eletrônicos", escreveu Nakamoto no documento que descreve o bitcoin. "O que é necessário é um sistema de pagamento eletrônico baseado em prova criptográfica ao invés de confiança, permitindo que qualquer duas partes dispostas a negociar diretamente entre si sem a necessidade de um terceiro confiável."

No início deste ano, o J.P. Morgan Chase anunciou planos para lançar seu próprio token digital, apoiado por moeda fiduciária. Espera-se que os testes para a nova moeda sejam iniciados nos próximos meses.

Na indústria criptográfica, um instrumento como o JPM Coin é conhecido como "stablecoin" ou moeda estável porque tem um valor intrínseco, ao contrário das moedas ETH da Bitcoin ou da Ethereum, cujo valor é baseado na oferta e demanda de dinheiro virtual. Uma vez vinculado a uma moeda fiduciária, porém, o valor intrínseco é criado.

O Facebook também está investigando o desenvolvimento de sua própria criptomoeda, uma iniciativa que tem o potencial de gerar bilhões de dólares em redes sociais e, ao mesmo tempo, ajudar a eliminar notícias e bots falsos.

"Todas essas coisas juntas podem significar que as pessoas adotem carteiras digitais. Isso vai tornar as pessoas mais interessadas em criptomoedas", disse Litan. "Se você vê mais pessoas aceitando, isso vai orientar a adoção. É algo que pode falhar, mas minha aposta é que irá estimular a adoção".

IDG Now! agora é itmidiacom. Para ler mais notícias, acesse.

 

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site