Novo
Agora IDGNow! é IT Midia.com
Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Para Papa Francisco, smartphones são ‘uma droga’ viciante
Para Papa Francisco, smartphones são ‘uma droga’ viciante
Home > Mobilidade

Para Papa Francisco, smartphones são ‘uma droga’ viciante

Pontífice pediu a estudantes que se 'libertem da dependências' do celular, que em sua visão, pode reduzir a comunicação a simples contatos

Da Redação*

15/04/2019 às 9h00

Foto: Shutterstock

Durante discurso para estudantes do instituto público Ennio Quirino Visconti, escola secundária clássica de Roma, o papa Francisco pediu aos jovens, no último sábado (13), no Vaticano, que se "libertem da dependência" do telefone celular, que é "como uma droga."

"Libertai-vos da dependência do celular! Por favor!", clamou Francisco. Ele explicou "que os telefones celulares são um grande progresso de grande ajuda, e é preciso usá-los, mas quem se transforma em escravo do telefone perde a sua liberdade".

O papa lembrou que "o telefone celular é uma droga" que "pode reduzir a comunicação a simples contatos".

Por ocasião da visita da escola ao Vaticano, o pontífice aludiu a um ensinamento de Santo Agostinho, doutor da Igreja Católica, em latim: "in interiore homine habitat veritas" – "A verdade vive no interior do homem".

A escola deve educar em prol da inclusão, do respeito à diversidade e da cooperação, sublinhou o papa. Nesse contexto, o pontífice disse aos estudantes que não tenham medo "das diversidades" e lembrou que "o diálogo entre as diferentes culturas enriquece um país, enriquece a pátria, e nos faz olhar para uma terra de todos e não só para alguns".

Criador do Linux critica redes sociais

No início deste mês, o criador do Linux, o finlandês Linus Torvalds, criticou redes sociais como o Facebook, Instagram e Twitter.

Para ele, tais serviços são um dos maiores problemas que a indústria de tecnologia está enfrentando hoje. "Eu absolutamente detesto as mídias sociais modernas - Twitter, Facebook, Instagram. São uma doença", disse ele quando questionado sobre o que ele corrigiria hoje na tecnologia.

As plataformas, na visão de Linus, encorajam o mau comportamento dos usuários e, um dos grandes problemas está na dinâmica de 'gostar' e 'compartilhar'. "É apenas lixo", acrescentou.

*Com Agência Brasil

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site