Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Novos MacBooks: o que nós queremos e o que provavelmente receberemos
Novos MacBooks: o que nós queremos e o que provavelmente receberemos
Home > Inovação

Novos MacBooks: o que nós queremos e o que provavelmente receberemos

Apple terá grande evento no próximo dia 30/10. Elencamos nossas expectativas para a possível atualização do MacBook Air e nossas prováveis frustrações

Jason Cross, Macworld (EUA)

24/10/2018 às 12h45

macbook o que podemos esperar.jpg
Foto:

A Apple fará um evento no dia 30 de outubro e a expectativa é de que a estrela da noite sejam os novos iPads Pros – com um novo design no estilo do iPhone X e Face ID. E como temos falado aqui, continuamente, há sérios rumores, também, de um novo Macbook "mais acessível" para o patamar da fabricante. Sobre este último, refletimos aqui sobre os rumores, ao mesmo tempo que tentamos lidar com nossas expectativas e possíveis frustrações.

O que queremos: um MacBook para substituir dois

Neste momento, há o MacBook, um laptop fino e leve de 12 polegadas que teve um pequeno aumento de processador há cerca de 16 meses, e o MacBook Air, um laptop fino e leve de 13 polegadas que teve um atualização menos significativa na mesma época.

Não há uma boa razão para ambos os produtos existirem.

O que vamos conseguir: um MacBook

A suspeita é de que a Apple pare de dividir sua linha fina e leve em dois e desenvolva um único MacBook. Seria como um sucessor do MacBook de 12 polegadas e do MacBook Air de 13 polegadas, embora o nome "Air" provavelmente desapareça.

Como a expectativa é de que o novo produto tenha um preço semelhante ao do MacBook Air, mas tenha um display Retina como o MacBook de 12 polegadas, parece uma loucura manter as duas marcas.

O que queremos: CPUs quad-core

O Core m3 na configuração inicial do MacBook de 12 polegadas é embaraçosamente lento para um laptop de US$ 1.300. E o MacBook Air ainda vem equipado com antigos processadores Intel Core de quinta geração dual-core.

Os melhores laptops Windows finos e leves têm processadores quad-core agora. A Apple precisa se reinventar.

O que vamos conseguir: Dual-core para começar com uma opção de quatro núcleos

Provavelmente, a Apple usará o mais recente processador “Whiskey Lake” da Intel, que vem em modelos de dois núcleos, quatro segmentos (Core i3) e quatro núcleos, oito segmentos (Core i5 e i7).

O modelo base provavelmente será o Core i3 dual-core, com as opções Core i5 e i7 disponíveis.

O que queremos: carregamento MagSafe

Essa é uma solução elegante para um conector de carga robusto que se rompe sem esforço quando alguém tropeça no cabo. O MacBook Air é o último Mac restante para usá-lo.

O que vamos conseguir: carregamento USB-C

Há uma razão para o MacBook Air, que não tem uma atualização real em três anos, ser o único a usar o conector MagSafe. A Apple está all-in em USB-C em Macs, e não tem como imaginar que o novo seja diferente.

O que queremos: O teclado antigo

O novo teclado “borboleta” é, na melhor das hipóteses, controverso. Ignorando o fato de que não é robusto o suficiente para resistir a um pouco de poeira, os sons curtos e barulhentos realmente incomodam a maioria dos usuários de Mac. O melhor elogio que a comunidade Mac pode apresentar é que "não é tão ruim assim".

O que vamos conseguir: o novo teclado Butterfly

A Apple abordou o problema da confiabilidade com um programa de serviço de teclado e um ajuste de design no teclado borboleta que cobre o mecanismo com uma membrana de silicone. Isso é bom, mas a experiência de digitação ainda é um downgrade significativo para a maioria dos usuários de Mac.

O que queremos: cinza espacial

Os consumidores querem um Mac preto fosco há muito tempo e quase conseguiu com o iMac Pro cinza. Não é exatamente no acabamento fosco e não muito preto, mas o brilho é mantido e o cinza é bastante escuro. Seria ótimo ter essa opção também no próximo laptop.

O que vamos receber: "cinza espacial"

O novo MacBook provavelmente virá nas mesmas cores que o MacBook atual - prata, ouro rosa, ouro e cinza espacial. Mas o cinza usado nos atuais MacBooks e MacBook Pros é apenas um tom mais escuro.

O que queremos: acabar com a barra de toque

A barra de toque não foi um sucesso. Na melhor das hipóteses, é útil algumas vezes, mas é um pequeno consolo para o incômodo constante de uma tecla Esc e de teclas de função não encontradas. Adicionar elementos de interface dinâmicos ao teclado é uma tarefa equivocada - ele usa uma parte do computador que o usuário deve usar cegamente, mantendo os olhos focados na tela e fazendo com que a pessoa tenha que analisá-lo o tempo todo. Não é como se os elementos da interface dinâmica não tivessem para onde ir: toda a exibição principal pode ser usada para eles.

O que vamos receber: acabar com a barra de toque

Felizmente para aqueles que não são fãs da Barra de toque, não é provável que apareçam no novo MacBook. É um item caro, tanto em termos de dólares quanto de volume interno. Em um esforço para manter o preço baixo e embalar um laptop fino e leve com o máximo de bateria possível, a Apple provavelmente não incluirá o Touch Bar.

O que queremos: identificação facial

Quem já usou o Windows Hello, sabe como é incrível abrir seu laptop e desbloquear e fazer login automaticamente na conta de usuário adequada. A identificação facial seria um ajuste natural para laptops Mac. Perfeito para fazer login, autenticar compras, inserir senhas com um gerenciador de senhas e assim por diante.

O que vamos receber: ID de toque

A identificação facial provavelmente é um pouco cara demais para laptops Mac de baixo custo. O módulo não é apenas caro, mas depende da tecnologia dos processadores A11 e A12, e os recursos de processamento necessários não estão presentes no co-processador T2 encontrado nos Macs. Além disso, não está claro se há espessura suficiente para o módulo TrueDepth no painel superior de uma tampa da tela.

A Apple realmente quer motivar a usar senhas únicas e fortes ligadas à autenticação biométrica. A ID de toque é a melhor coisa a seguir e não é nem muito cara nem volumosa demais para colocar em um laptop de mil dólares.

O que queremos: uma câmera melhor

As câmeras FaceTime nos Macs são simplesmente horríveis. Eles estão anos atrás da resolução e da qualidade de webcams integradas nos melhores laptops do Windows. Já passou da hora de uma mudança.

O que vamos conseguir: o módulo T2

A Apple provavelmente ainda construirá uma câmera bastante sem brilho no novo MacBook, mas pelo menos terá um melhor processamento de imagem.

Espera-se que todos os novos Mac tenham o processador T2 (encontrado no iMac Pro e no 2018 MacBook Pro). Ele lida com inicialização segura, criptografia de unidade, ID de toque, processamento de áudio e processamento de imagem para a câmera integrada. Se o novo MacBook tiver o Touch ID, ele precisará ter um T2, o que significa que haverá um processamento de imagem melhor na câmera do FaceTime.

O que queremos: portas legadas

Claro, USB-C é o futuro. Mas o USB-A é o presente. Temos muitos acessórios que ainda usam USB-A e muitos deles nunca obterão variantes USB-C. E não são apenas portas USB. As pessoas têm investimentos em fones de ouvido com fio e gostam de conectar o cartão SD da câmera em um slot para tirar fotos.

O que vamos receber: USB-C (e apenas dois deles)

Há uma chance de 50% de que o novo MacBook não tenha um conector de fone de ouvido, mas quase não há chances de ele ter outra porta além do USB-C. Tecnicamente, as portas quase certamente suportarão o Thunderbolt 3, o que significa que elas serão ótimas para monitores externos e discos rígidos, mas o usuário pode esquecer de conectar seu equipamento USB-A ou cartões SD sem um dongle.

Pelo menos, a Apple não deverá continuar com o erro do MacBook de 12 polegadas de ter apenas uma única porta USB-C que deve ser compartilhada pelo carregador e por todos os periféricos, unidades ou monitores conectados. Provavelmente, serão duas portas USB-C / Thunderbolt 3, semelhantes ao MacBook Pro de 13 polegadas sem barra de toque.

O que queremos: preço inicial de US$ 799

Um preço inicial de cerca de US$ 800 faria muito para estimular as vendas, e também significaria que um modelo de uma etapa (com um Core i5 em vez do Core i3 e possivelmente mais armazenamento) custaria cerca de US$ 999.

Isso é uma atualização do MacBook que vale a pena, e pode até atrair alguns clientes que procuram laptops Windows premium.

O que receberemos: um preço inicial de US$ 999

Com um display Retina, Touch ID e processadores atualizados, tudo pelo mesmo preço inicial do MacBook Air, a Apple terá tudo o que precisa para lançar um preço inicial de US$ 999 como uma grande pechincha. Claro, é uma grande atualização pelo mesmo preço que o atual MacBook Air. Mas isso só parece acontecer porque a atual linha de notebooks finos e leves da Apple é extremamente fraca e superfaturada em relação ao restante do mercado. A Apple está vendendo tecnologia de anos atrás pelos mesmos preços que fazia quando era nova.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site