Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Malware de mineração de criptomoeda ainda lidera lista de ciberameaças
Malware de mineração de criptomoeda ainda lidera lista de ciberameaças
Home > Internet

Malware de mineração de criptomoeda ainda lidera lista de ciberameaças

Segundo levantamento da Check Point, Coinhive parou de crescer, mas a criptomineração ainda deve permanecer como alerta para empresas

Da Redação

10/04/2019 às 17h30

Foto: Shutterstock

Embora os serviços de mineração de criptomoeda, como o Coinhive, tenham encerrado no último mês de março, os criptomineradores ainda são os malwares mais predominantes nas organizações em todo o mundo, segundo o Índice Global de Ameaças referente ao mês de março de 2019, da Check Point Research.

Segundo pesquisadores da companhia, é a primeira vez desde dezembro de 2017 que o Coinhive caiu da primeira posição, mas, apesar de ter operado apenas oito dias em março, ainda era o sexto malware mais comum a afetar as companhias durante o mês. No seu auge, o Coinhive impactou 23% das organizações em todo o mundo.

Atualmente, muitos sites ainda possuem o código JavaScriptCoinhive e, mesmo sem atividade de mineração, os pesquisadores da Check Point avisam que o Coinhive pode ser reativado se o valor do Monero (criptomoeda de código aberto) aumentar. A expectativa é que outros serviços de mineração também aumentem a sua atividade para aproveitar a ausência do Coinhive.

De acordo com Maya Horowitz, diretora de Inteligência de Ameaças e Pesquisa da Check Point, “com os valores de criptomoedas caindo em geral desde 2018, veremos mais criptomineradores para navegadores seguindo os passos do Coinhive e cessando a operação”.

“No entanto, suspeito que os criminosos virtuais encontrarão formas de ganhar com atividades de criptomineração mais robustas, utilizando ambientes em nuvem para mineração. Vimos organizações pagando centenas de milhares de dólares a seus provedores de serviços em nuvem pelos recursos de computação usados ​​ilicitamente pelos criptomineradores. Esta é uma chamada de ação para as organizações protegerem seus ambientes de nuvem”, reforça Maya.

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site