Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Harvard recebeu em 2018 quase o orçamento da USP apenas em doações
Harvard recebeu em 2018 quase o orçamento da USP apenas em doações
Home > Inovação

Harvard recebeu em 2018 quase o orçamento da USP apenas em doações

Em 2018, valor de doações de ex-alunos para universidades norte-americanas superou os US$ 12 bilhões

Da Redação

16/06/2019 às 15h37

Foto: Shutterstock

O orçamento aprovado para a Universidade de São Paulo (USP) para o ano de 2019 doi de R$ 5,7 bilhões, dos quais R$ 5,5 bilhões referem-se aos repasses do governo estadual. Nos Estados Unidos, onde existe uma cultura em que ex-alunos são estimulados por incentivos fiscais a doarem a sua universidades (chamado de endowment), as verbas dedicadas a universidades de graduação e pós-graduação  superaram, em 2018, o recorde de US$ 46,7 bilhões (R$ 182 bilhões). As informações são do jornal Estadão, que citam dados do Conselho para Avanço e Suporte à Educação.

A título de comparação, Harvard arrecadou, em 2018, com doações de ex-alunos quase o orçamento da USP para este ano. A universidade norte-americana, onde se formou notáveis como Barack Obama, Bill Gates e Al Gore, recebeu a quantia de cerca de R$ 5,5 bilhões. A universidade em questão, foi destino de 28% das doações a universidades dos EUA em 2018.

Depois de Harvard, as universidades de Stanford, Columbia, a Universidade da Califórnia em Los Angeles e em São Francisco e a Johns Hopkins, em Maryland, foram as maiores recebedoras de doação. No total, os "alumni", como são chamados os ex-alunos, doaram US$ 12,1 bilhões em 2018. No anterior, o valor foi de US$ 11 bilhões.

Nos Estados Unidos, a cultura de doação é incentivada desde antes da graduação. No Brasil, em janeiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro sancionou norma que regulamenta fundos patrimoniais usados para arrecadar e gerir doações de pessoas físicas e jurídicas para programas e projetos em diferentes áreas, entre as quais, cultura e educação. A lei surgiu a partir de uma medida provisória editada em 2018, ainda no governo de Michel Temer.

Entretanto, Bolsonaro sancionou a lei com sete vetos, incluindo vetos a incentivos fiscais aos doadores. Dessa forma, segundo especialistas, a lei não ajuda a fomentar doações e pode burocratizar os processos.

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio