Novo
Agora IDGNow! é IT Midia.com
Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Google demitiu 48 funcionários por assédio sexual nos últimos 2 anos
Google demitiu 48 funcionários por assédio sexual nos últimos 2 anos
Home > Inovação

Google demitiu 48 funcionários por assédio sexual nos últimos 2 anos

CEO da companhia admitiu a demissão de executivos da alta gerência. Reportagem do NYT revelou que cocriador do Android foi demitido após companhia comprovar caso de assédio

Da Redação

30/10/2018 às 11h40

sundar pichai logo.jpg
Foto:

Sundar Pichai, CEO do Google, disse na semana passada que a companhia demitiu 48 funcionários por assédio sexual nos últimos dois anos. Destes, 13 eram gerentes sênior. O anúncio foi encaminhado por e-mail a funcionários e também assinado pela presidente de Recursos Humanos do Google, Eileen Naughton. 

O comunicado acontece após o New York Times detalhar alegações de que o cocriador do Android, Andy Rubin, recebeu grande quantia de dinheiro para deixar discretamente a companhia em 2014 após verificar-se que eram reais as alegações de má conduta por assédio sexual contra ele. De acordo com a reportagem, uma funcionária do Google acusou Rubin de coagi-la a fazer sexo oral nele em um quarto de hotel em 2013. 

Após investigação, o Google pediu para Rubin deixar a empresa. O jornal questiona, entretanto, que a companhia poderia ter demitido Rubin e, dada a comprovação do assédio, não pagar a ele nenhuma recompensa a mais. Mas ao invés disso, pagou US$ 90 milhões de dólares em compensações e não disse nada publicadamente, ressaltou o NYT citando fontes próximas ao episódio.

No e-mail o qual a imprensa internacional teve acesso, Pichai, afirma que nenhum dos executivos demitidos recebeu compensação ao sair, porém não chegou a endereçar o caso de Rubin especificamente. O CEO aproveitou para dizer que o Google atualizou a política para exigir que todos os vice-presidentes e vice-presidentes senior informem qualquer relacionamento que tiverem com um ou uma colega, independente de ter eventual conflito de interesses no departamento.

"Nós estamos comprometidos em assegurar que o Google é um ambiente de trabalho onde você se sinta seguro para fazer o melhor, e onde há sérias consequências para qualquer pessoa que se comporta de forma inapropriada", assinou Pichai e Naughton no e-mail. 

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site