Novo
Agora IDGNow! é IT Midia.com
Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Futuro da CFO da Huawei presa no Canadá deve ser decidido nesta terça (11/12)
Futuro da CFO da Huawei presa no Canadá deve ser decidido nesta terça (11/12)
Home > Inovação

Futuro da CFO da Huawei presa no Canadá deve ser decidido nesta terça (11/12)

Meng Wanzhou foi detida pelas autoridades canadenses a pedido dos norte-americanos por supostamente violar sanções comerciais impostas ao Irã

Agência Brasil

11/12/2018 às 16h45

meng huawei.jpg
Foto:

O juiz William Ehrcke, do Tribunal Supremo da província da Colúmbia Britânica, no Canadá, fará hoje (11) mais uma audiência para decidir o futuro da diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, 46 anos, detida pelas autoridades canadenses a pedido dos Estados Unidos no dia 1º de dezembro em Vancouver quando seguia para o México.

Meng Wanzhou foi detida pelas autoridades canadenses a pedido dos norte-americanos por supostamente violar as sanções comerciais impostas pelos Estados Unidos ao Irã. A prisão causou mal-estar entre China e Estados Unidos e há temores de impactos sobre as negociações comerciais entre ambos.

A defesa de Meng Wanzhou pede a concessão de liberdade sob fiança enquanto a Justiça decida também se ela será extraditada para os Estados Unidos.

Meng Wanzhou é acusada pelas autoridades americanas de fraude por violar as sanções comerciais impostas pelos Estados Unidos ao Irã. A executiva chinesa, que é filha do fundador da Huawei, negou a acusação.

A promotoria canadense solicitou a Ehrcke que mantenha Meng na prisão até que os tribunais decidam se a diretora da Huawei será extraditada aos Estados Unidos, um processo que pode durar um ano.

Por sua parte, o advogado do Estado declarou que prefere que Meng seja encaminhada para prisão domiciliar.

Ehrcke decidiu adiar sua decisão sobre a liberdade sob fiança de Meng diante das dúvidas colocadas pela promotoria e o advogado do Estado sobre a legalidade de que seja o marido de Meng, um cidadão chinês sem residência no Canadá, quem garanta a fiança a pagar.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site