Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Funcionários do Snap teriam abusado de privilégios para espionar usuários
Funcionários do Snap teriam abusado de privilégios para espionar usuários
Home > Internet

Funcionários do Snap teriam abusado de privilégios para espionar usuários

Segundo reportagem do Motherboard, ferramenta interna foi usada de forma inapropriada para acessar dados de usuários

Da Redação

24/05/2019 às 8h00

Foto: Shutterstock

Uma série de funcionários do Snap, empresa que detém o Snapchat, teriam tido acesso a informações pessoais de usuários do aplicativo, incluindo aí fotos, vídeos, números de telefone, dados de localização e e-mails, segundo reportagem do Motherboard.

Dois funcionários que conversaram com a publicação disseram que há alguns anos funcionários da companhia acessaram, de forma inapropriada, dados de usuários, o que significa que eles teriam abusado de seus privilégios para espionar usuários para além dos limites colocados para se trabalhar com o aplicativo.

Um ex-funcionário do Snap disse ao Motherboard que o abuso sobre informações sensíveis de usuários foi transgredido "algumas vezes". Segundo a reportagem, uma das ferramentas utilizadas para acessar dados de usuários é chamada internamente de SnapLion. A ferramenta foi originalmente criada para reunir informações sobre usuários em casos de solicitações de autoridades.

A ferramenta podia ser acessada pela equipe de Spam e Abuso da empresa, além do time de operações do cliente e equipe de segurança. Segundo o Motherboard, um ex-funcionário teria caracterizado a ferramenta como "as chaves do reino" e e-mails internos obtidos pela publicação revelaram que um funcionário usou a ferramenta para procurar o endereço de e-mail de alguém.

A reportagem do Motherboard, entretanto, afirma que não foi possível concluir exatamente como os dados foram mal utilizados. A publicação também não especificou um prazo preciso para quando esse abuso poderia ter ocorrido, apenas disse que foi há "vários anos atrás".

Em todo caso, o episódio reforça a tênue noção de privacidade que aplicativos oferecem aos seus usuários.  Afinal, esses aplicativos dão um recorte precioso e íntimo dos dados de usuários e mostram que milhares de pessoas mundo afora que trabalham para as companhias que detém esses apps podem, inadvertidamente, obter acesso a tais informações.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio