Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Falhas no Windows e Linux podem abrir brecha para novo mega-ataque de ransomware
Falhas no Windows e Linux podem abrir brecha para novo mega-ataque de ransomware
Home > Internet

Falhas no Windows e Linux podem abrir brecha para novo mega-ataque de ransomware

Vulnerabilidades no serviço de desktop remoto do Windows e em máquinas Linux com o serviço Samba podem gerar nova onda de malware, alerta Cipher

Da Redação

21/06/2017 às 1h20

wannacrytela_625.jpg
Foto:

Mais de um mês após ao ataque do ransomware WannaCry, que atingiu mais de 70 países, uma nova onda de malware que se autopropaga pode estar por vir devido a duas novas vulnerabilidades: uma no serviço de desktop remoto (RDP) do Windows e outra por causa de falha que atinge máquinas Linux com o serviço Samba. O alerta é do Laboratório de Inteligência da Cipher, empresa global de segurança cibernética.

A vulnerabilidade afeta máquinas Windows XP e Windows 2003 Server, sistemas cujo suporte foi descontinuado pela Microsoft. O exploit, chamado EsteemAudit, também foi publicado pelo grupo hacker autodenominado Shadow Brokers, responsável pela divulgação da falha EternalBlue que deu origem ao WannaCry. Cerca de 7% dos computadores pessoais ainda utilizam a versão XP do Windows e estimativas dão conta que 600 mil servidores web ainda estão rodando a versão Server 2003. A Microsoft divulgou atualização para essa falha.

Já o Samba é um serviço do Linux utilizado para compartilhamento de arquivos e compatibilidade com sistemas operacionais Windows, permitindo a troca de arquivos e sessões de comunicação entre os dois sistemas operacionais. A falha também permite a execução de código remoto em dispositivos Linux e a criação de um “wormable malware”, ou seja, um software malicioso que pode infectar outros dispositivos conectados em rede automaticamente.

De acordo com o especialista em cibersegurança da Cipher, Fernando Amatte, é necessário ter cuidado ao conectar um dispositivo à internet. “Valide as regras dos dispositivos que estão expostos e, caso seja necessário o uso do RPD, ele deve ser feito via uma conexão VPN”, alerta.

O grande risco nesse caso está em equipamentos do tipo NAS (Network Attached Storage), que são discos rígidos externos com capacidade de conexão em rede utilizados para armazenar fotos, vídeos e arquivos pessoais. Esses dispositivos utilizam, via de regra, Linux e não possuem processo de atualização automatizada.

“Por enquanto notamos, entre os nossos clientes, que os casos relacionados a possíveis problemas são isolados, mas se não formos cautelosos, uma nova gama de ataques pode acontecer. A recomendação é alertar aos gestores para tomarem cuidado e procurar atualizações nos sites dos fornecedores, além de buscar um especialista em segurança da informação para saber o nível de risco de exposição em que a empresa se encontra”, finaliza Amatte.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio