Novo
Agora IDGNow! é IT Midia.com
Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
Como a Alibaba tem usado AI e IoT para se tornar onipresente na China
Como a Alibaba tem usado AI e IoT para se tornar onipresente na China
Home > Inovação

Como a Alibaba tem usado AI e IoT para se tornar onipresente na China

Gigante asiática lançou programa aberto para integrar ecossistema de objetos conectados no país e deu início a produção em massa de chips bluetooth mesh

Por Carla Matsu, de Xangai*

15/06/2018 às 6h10

tmall-genie.jpg
Foto:

A chinesa Alibaba tem negócios que vão desde o Aliexpress - talvez sua face mais conhecida no Brasil - a um popular sistema de pagamentos on-line na China, o Alipay. Mas o conglomerado de tecnologia é tão diverso em seus negócios que é difícil resumir o alcance da empresa que Jack Ma iniciou em seu apartamento, em Hangzhou, na China, nos idos de 1999, quando a Internet ainda dava os primeiros passos. 

Quase 20 anos depois, a aposta da vez do Alibaba mira a Inteligência Artificial. Não à toa a tecnologia ganhou, há dois anos, uma própria divisão, o AI Labs, comandada por Miffy Chen. Nessa quinta-feira (14/6), a executiva subiu ao palco da CES Asia, em Shanghai, para falar sobre os esforços do Alibaba AI Labs, sobre o que ela chama de Inteligência das Coisas e uma de suas personagens centrais, a Tmall Genie, a assistente inteligente do Alibaba.

Durante a palestra de Chen, ficou claro que o Alibaba não pretende ficar atrás em um universo doméstico cada vez mais conectado. Para se ter uma ideia, a Tmall Genie foi lançada em julho do ano passado e, quase um ano depois, conta com mais de 2 milhões de unidades vendidas. Em termos de market share global, ela fica somente atrás da Echo, da Amazon e do Google Home. Na China, é líder de mercado. Da mesma forma que seus concorrentes, ela consegue responder a comandos de voz, tocar música, ler notícias e ligar objetos conectados e, assim como a Alexa, consegue comprar coisas diretamente do site da Alibaba, no caso o Tmall, com entrega exclusiva no mercado chinês.

Se na CES Las Vegas deste ano, vimos uma disputa da Amazon e Google pela casa conectada, com cada empresa buscando integrar mais e mais parceiros as suas plataformas, na China, a Tmall Genie não tem ainda com quem se preocupar ao olhar pelo retrovisor da Internet das Coisas. Mas para se fazer valer, a companhia tem buscado também ampliar o seu ecossistema. Durante o evento, a Alibaba anunciou que está abrindo as APIs da Tmall Genie com o programa AI Genie Union.

miffy-chen

Uma mesma linguagem

Para muitos, smart speakers são apenas mais uma tendência do mundo da tecnologia, algo que as pessoas não deverão adotar em massa, um "hype" passageiro. Entretanto, Chen lembra que o mercado da Internet das Coisas é avaliado em trilhões de dólares e que tais dispositivos são uma porta de entrada para as pessoas se beneficiarem da automação de suas rotinas. Entretanto, diz ela, a “estrada para a Internet das Coisas nem sempre é rosa”. 

Um dos grandes desafios diz respeito a interface do usuário. Isso porque em um mundo onde as pessoas esperam que tudo que esteja habilitado com internet, de fato, funcione, a frustração quando ele não funcionar pode ser grande, algo que causará dor de cabeça - e dinheiro - às companhias que não estiverem preparadas.  

“A indústria não evoluiu ainda para acompanhar as expectativas do usuário”, disse Chen. “A interface da IoT precisa melhorar". Segundo a executiva, o AI Genie Union também compartilhará melhores práticas para a interface do usuário com as empresas parceiras.

A infraestrutura necessária para entregar a Internet das Coisas também deve ser atualizada e a Alibaba defende que o padrão a ser seguido é o Bluetooth Mesh. A gerente geral do AI Labs anunciou que a fábrica da companhia está produzindo, em larga escala, os chips que irão habilitar uma nova geração de coisas conectadas. “Nós esperamos redefinir a conexão, conectar todos os dispositivos”, ressaltou.

As apostas da Alibaba na Tmall Genie enquanto a “gênio da lâmpada” de uma realidade conectada são altas. A companhia espera integrar em um ano 200 parceiros e evoluir as habilidades da assistente. "Acredito que a Internet das coisas será a inteligência das coisas. As máquinas irão aprender uma com as outras. E esse é só o ponto inicial para a gente. Esperamos mudar toda a indústria no futuro e também queremos levar a humanidade para as máquinas", finalizou Chen.

*A jornalista viajou a Xangai a convite da CTA (Consumer Technology Association)


Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site