Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
CEO da Apple, Tim Cook, diz que Vale do Silício criou ‘fábrica de caos’
CEO da Apple, Tim Cook, diz que Vale do Silício criou ‘fábrica de caos’
Home > Internet

CEO da Apple, Tim Cook, diz que Vale do Silício criou ‘fábrica de caos’

Durante discurso em Stanford, executivo defendeu que empresas de tecnologia não devem se ausentar da responsabilidade sobre violações da privacidade

Da Redação

18/06/2019 às 12h00

Foto: Shutterstock

Tim Cook, CEO da Apple, discursou no último domingo (16) para os recém formados da Universidade de Stanford. Além do discurso motivacional esperado, o executivo criticou outras grandes empresas de tecnologia, compôs uma imagem séria do Vale do Silício e disse que o local é responsável por muitos erros.

Cook falou para cerca de 30 mil pessoas, incluindo alunos, seus familiares e amigos. Alertou que, quando a hora de liderar chegar, eles não estarão realmente prontos. Disse que aprendeu essa lição com a morte de Steve Jobs que fez um discurso no mesmo estádio da universidade em 2005.

“Hoje nos reunimos em um momento que demanda reflexões. Abastecido por café e código, otimismo e idealismo, convicção e criatividade, gerações de graduados e desistentes de Stanford usaram a tecnologia para refazer nossa sociedade..., mas acho que vocês concordam que ultimamente os resultados não foram claros ou diretos. Em apenas quatro anos em que estiveram aqui, as coisas parecem ter mudado bastante. A crise moderou o otimismo. Consequências desafiaram o idealismo. E a realidade abalou a fé cega", disse Cook.

Cook citou algumas grandes invenções que nasceram no Vale do Silício, desde a Hewlett Packard ao iPhone, redes sociais, vídeos compartilháveis e histórias do Snapchat. Embora tenha citado redes sociais e vídeos compartilháveis não nomeou o YouTube nem o Facebook diretamente.

Leia também: O que Tim Cook pensa sobre regulação, vício em smartphones e Donald Trump?

“Ultimamente parece que esta indústria está se tornando mais conhecida por uma inovação menos nobre, a crença de que podemos reivindicar crédito sem aceitar responsabilidades. Nós vemos isso todos os dias agora com todas as violações de dados, todas as violações de privacidade, todos os olhos cegos voltados para discurso de ódio, notícias falsas envenenando nossa conversa nacional, os falsos milagres em troca de uma única gota de seu sangue... É um pouco louco que alguém tenha que dizer isso, mas se você construiu uma fábrica de caos, não pode se esquivar da responsabilidade. Assumir responsabilidade significa ter a coragem de pensar nas coisas", continuou o executivo.

Falou também sobre privacidade, um assunto muito querido por ele. “Se aceitarmos como normal e inevitável que qualquer coisa em nossas vidas possa ser agregada, vendida ou até mesmo vazada no caso de uma invasão, então perderemos muito mais do que os dados. Perdemos a liberdade de ser humanos..., o efeito inibidor da vigilância digital é profundo e afeta tudo".

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site