Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Logo ITMidia
Logo ComputerWorld
Logo PCWorld
Logo CIO
Logo ITForum
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Últimas notícias do conteúdo : Ver todos
App ‘Tinder dos imóveis’ permite compra e venda sem recorrer a terceiros
App ‘Tinder dos imóveis’ permite compra e venda sem recorrer a terceiros
Home > Inovação

App ‘Tinder dos imóveis’ permite compra e venda sem recorrer a terceiros

Ferramenta criada por brasileiro, App do Imóvel se inspira em aplicativo de paquera para agilizar a compra, venda ou troca de imóveis

Carla Matsu

08/08/2016 às 15h59

AppImovel__625.jpg
Foto:

Um novo aplicativo brasileiro quer renovar o mercado imobiliário ao conectar diretamente pessoas físicas, donas de imóveis à venda, a potenciais compradores e, de quebra, reduzir ou eliminar as taxas de negociação. O brasileiro Felipe Jacinto, idealizador do App do Imóvel, compara a aplicação como uma espécie de Tinder, o aplicativo de relacionamento onde duas pessoas se aproximam caso o interesse seja mútuo.

No caso do App do Imóvel, pessoas podem anunciar imóveis para venda ou troca e usuários interessados podem curtir o anúncio, seja uma casa, apartamento ou sala comercial e, se houver “match”, as duas partes podem iniciar uma conversa. Interessados também conseguem personalizar suas buscas por tipo de imóvel e região desejada.

A ferramenta de negociação é exclusiva para venda e compra e, diferente de outros aplicativos disponíveis no mercado, não há a possibilidade de corretores e imobiliárias anunciarem dentro dela. Da mesma forma, não há intermediação da empresa responsável pelo aplicativo. As partes interessadas em compra, venda ou troca ficam responsáveis por iniciarem e conduzirem a negociação.

“Muitas das vendas que acontecem no mercado imobiliário se dá no boca a boca. E não tinha ainda uma plataforma que aproximasse as duas pontas”, ressalta Jacinto.

Ao excluir da solução, corretores e imobiliárias, o App do Imóvel já começa a enfrentar resistência de entidades que representam a categoria. O Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso, Creci-MT, por meio de nota em seu site, repudiou a criação do aplicativo afirmando que "os corretores de imóveis se tornaram profissionais regulamentados, gestores de negócios e conhecem todos os trâmites de um negócio seguro, além de estarem preparados para atender da melhor forma possível todos os tipos de clientes". A nota cita o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do estado, Benedito Odário: "Em uma transação sem corretor, se houver algum problema de documentação, os dois precisam se resolver sozinhos ou somente com a ajuda de advogados".

Jacinto, por sua vez, diz que o aplicativo funciona como uma espécie de classificados e reforça que toda negociação deve ser acompanhada por um advogado. Segundo o CEO da empresa, outras entidades do setor têm o buscado para iniciar parcerias, algo que segundo Jacinto não é de seu interesse.

“Não temos por que fazer parcerias, por que o aplicativo é como um classificado, só que inteligente. E é bem diferente, pois não há uma intermediação da nossa parte”, defende ao dizer que não se trata de um “Uber dos imóveis", uma vez que a plataforma não coloca profissionais para atuarem como corretores independentes. 

Curadoria

Segundo Jacinto, a empresa responsável pelo aplicativo revê todos os anúncios colocados na plataforma, ligando para cada um dos proprietários. A seleção é feita para identificar se há imobiliárias ou corretores ofertando anúncios. 

A plataforma já foi responsável pela conclusão de compras e vendas de imóveis, com depoimentos de usuários reportando negócios, diz Jacinto. Como a empresa não participa do processo de compra, troca ou venda, o empresário diz não ter uma dimensão de quantos negócios já foram concluídos por meio do aplicativo lançado há cerca de um mês.

Atualmente, a plataforma conta com 4.200 imóveis cadastrados, com uma base de aproximadamente 8 mil usuários. A expectativa é fechar 2016 com até 30 mil imóveis no Brasil todo. Por enquanto, a maioria dos imóveis cadastrados se concentra no estado de São Paulo.

“Estamos crescendo de forma exponencial. Quando lançamos, recebíamos três cadastros de imóveis por dia. Hoje estamos com 70 a 100 novos imóveis/dia”.

Quanto ao modelo de negócio, Jacinto diz que avalia para o futuro a inserção de publicidade na plataforma. O aplicativo é compatível com os sistemas operacionais Android e iOS. O download e a publicação dos anúncios são gratuitos. 

 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A IT Mídia usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio